quarta-feira, 14 de novembro de 2007

A Menina do Forte

Foi traída pelo sorriso.

Mulher sociável e cosmopolita, extremamente simpática, é inteligente e sagaz. Um sentido de humor perspicaz. Envolve-nos na conversa, o olhar monopoliza a nossa atenção. Confrontada com naturalidade, responde prontamente, a conversa flui. Fala longamente de si, conta as suas
mágoas, as suas alegrias, os seus medos, os seus sentimentos. Deixa-se levar no momento com confiança e serenidade...

Foi o sorriso que a traíu.

Usava o sorriso como um escudo, deflectindo toda e qualquer intrusão ao seu espaço. Um medo terrível a assola constantemente. É básico e instintivo, fruto de anos de prática. Morre de medo de alguém penetrar naquele jardim secreto. Erigiu à sua volta um forte, que defende com todas as armas. O seu sorriso é o seu escudo, mas o humor é a sua arma. Usa a brincadeira para lançar uma névoa sobre aquele espaço íntimo. Como água, escoa-se por entre os dedos quando a tentamos pegar. "Não é com as mãos que se transporta água", penso.

E, depois desta consciência, tudo o resto tombou, as paredes do forte tornaram-se transparentes. Ela usa as palavras porque lhe permitem distanciar as emoções. Embora íntimo, tudo o que conta permite-lhe, pensa ela, criar a última barreira ilusória, em que defende aquele espaço sagrado. Com as palavras, tenta desesperadamente tomar o controlo das conversas, numa tentativa vã de se esconder.

Por último, também o olhar se desvenda. O seu olhar, quando compreendido, traduz o turbilhão de emoções e a confusão que lhe tolda os pensamentos. Assusta-se facilmente, rapidamente se torna desconfiada. As suas próprias emoções estão em constante mutação. O que se mantém sempre é o terrível medo de estar vulnerável.

Ilude-se... Acredita que a sua constante fuga lhe preserva aquele espaço secreto, quando na verdade está exposto através de muralhas de cristal. O seu precioso forte é a sua maior ilusão...

Por o acreditar escondido, é que se magoa tanto. Por isso é que a conseguem magoar tanto...

30 comentários:

Sofia disse...

Estás a falar de mim?! Quiçá de ti... Porventura de todos nós. Todos nós usamos esse ou outro forte ilusório. Esse forte, no fundo, só nos engana a nós próprios - o que é bom! Se ele não nos enganasse, para onde iria toda a nossa auto-confiança? Como poderíamos sair de casa pela manhã?

black cat disse...

Olá! Obrigada pela visita à minha passerelle! :-)

Há uma frase de que gosto bastante: "Eu não nasci assim, a vida fez-me assim". Porque a vida vai 'moldando as pessoas', com o tempo eu também fui construindo um forte...

A diferença é que eu chamo-lhe 'peneira', pois serve para peneirar, para depurar, para seleccionar, pois no meu forte só entra quem eu quero!

Marta disse...

Clap, clap, clap! :)

Afrika disse...

Sorrisos realmente escondem muita coisa... ate os medos!
Vão criando ilusões de aparente felicidade de forma a proteger os mais frágeis e assim os mais fortes no seu intimo sao os mais frágeis e os mais frágeis os mais fortes!
Beijinho grande

sa disse...

bom quem quer que tenha sido... causou-te uma forte impressão, não?! no fundo todos nós somos fragéis com uma armadura por fora. é a natureza humana.
beijitos, fica bem :) boa escrita :)
sa

Alfacinha disse...

Ok...

Será o sorriso o escudo? É-me tão difícil forçar ou fingir um sorriso!... Ou ver sinceridade num sorriso não sincero!...

O humor como esquiva... sim...

"As palvras para distanciar as emoções"... só se as palavras decorrerem do raciocínio... se saltarem do coração... impossível!

Tentativa de se esconder... Quem não tenta proteger-se? Talvez o escudo exista nos motivos daquilo que é transparente... Todos podem perceber O QUE é, mas não PORQUE é... E assim, a barreira não é tão ilusória quanto possa parecer... Se calhar é ilusória porque confunde quem a vê...

Não será que somos magoados porque, apesar de nos escondermos ou protegermos, quando nos damos, DAMOS?!...

A insustentável leveza do ser ou a frágil dureza do ser?!

M. disse...

Catanu.. Acertaste em tudo excepto na parte do sorriso. Esse é sem dúvida e com toda a certeza o mais espontâneo que dela nasce.

Gosto imenso, da narrativa, do todo, dos Verbos e de ti :)

Beijo

Azul disse...

Estava a ver que este post nunca mais saía.

É por tudo isto que aqui é derito que gosto TANTO DELA!
E por ELA ser tão parecida comigo.

E é por isso que gosto TANTO de ti, lindo!!
Porque traduzes tão bem em palavras aquilo que vês na alma, em apenas minutos...horas..ou quase um dia inteiro!!!
:)

Sara disse...

Quase me revejo.
Lindo! ;)

Obrigada pela visita.
Volta sempre!

Sylvia disse...

Consegues captar a essência dos sentimentos de uma forma muito perspicaz.
Também me revejo no texto e nos últimos tempos, tenho reflectido sobre o meu "forte". Da relexão resultou uma decisao: resolvi deixar-me de ilusões, deixar de tentar controlar seja o que for. A vida acontece e apresenta-se de forma diferente todos os dias. O melhor é também nós, sermos diferentes e acolher o que ela traz de bom e de mau. Tudo isso nos faz crescer e com o crescimento vem a segurança. Não mais precisaremos de "fortes".

Escreves muito bem, pensas muito melhor. É o que eu acho. :)
Beijo

Sofia disse...

Sousa, ainda de volta da problemática do calções com machinhos, dediquei-lhe um post a si e ao Xá-das-5!

Espero que resolva todos os problemas; detesto pensar que não conseguiriam visualizar bem a situação por causa duns machos nos calções... lol

Obrigada pelo comentário e beijinhos

tavguinu disse...

queres ver que se ela não usar pepsodente está tramada :-)

ps - fixolas o blog um bocado gayzolas mas BOM !

Sofia disse...

Apanhaste-me a tratar de postar a continuação da história. Como vês, tratei-te por tu... fazes o favor de voltar à caixinha?! lol

ah... e não me sinto assim tão nova de espírito quanto isso, mas isso são outras conversas!

htsousa disse...

Sofia,

Pelo contrário, esse forte é o que impede de nos entregarmos completamente, de nos rendermos.

A auto-confiança vem de quem somos, não do que escondemos.

Beijinhos.

htsousa disse...

black cat,

Ainda bem que só entra quem tu queres. Mas será assim tão escondido? Tão impenetrável? Ou apenas uma ilusão tua?

Beijinhos.

htsousa disse...

marta,

Esperava mais, esperava mais...

htsousa disse...

Afrika,

Acho que te percebi... acho!

beijos.

htsousa disse...

sa,

Uma forte impressão? Não sei. Causou-me esta impressão.

É isso mesmo que eu questiono, a necessidade da armadura.

Beijinhos.

htsousa disse...

alfacinha,

Já esperava de ti uma boa resposta.

Eu sei que para ti te é difícil forçar um sorriso, mas há quem tenha anos de prática.

Quanto às palavras, totalmente de acordo. Mas é exactamente por isso que são usadas.

O problema é convencer-se de que é secreto algo que é visível (embora não facilmente). Faz com que seja possível magoar, sem que a outra pessoa perceba porquê.

No caso descrito, "a frágil dureza de ser", sem dúvida.

Beijinhos.

htsousa disse...

m.,

Havia dois sorrisos... mas são muito parecidos, um tem anos de prática para se parecer com o outro.

Esses elogios, vindos de alguém que escreve como tu, são muito bons, mas infundados.

Beijo.

htsousa disse...

Azul,

Não sei a que te referes... ;)

Beijinhos.

htsousa disse...

sara,

Obrigado, eu.

htsousa disse...

sylvia,

Captaste o sentido do texto completamente. Talvez porque já tinhas concluído o mesmo...

Beijinhos e obrigado.

htsousa disse...

tavguinu,

Lol, exactamente, o sorriso é que a tramou. ;)

Obrigado, mas é só o blog, só o blog.

M. disse...

Infundados? Só me faltava uma costela humilde.. ohh gooddd.. Alguém que escreve como eu?? Olha que andas a ler mal, a minha escrita não é nada de especial, e para mais, é possível que vá parar..
Aceita os elogios de quem gosta do que escreves. Eu não perco o meu tempo a angariar leitores. Só o perco naquilo que vale a pena. E a tua escrita é simples, "simplesmente simples" mas é profunda e isso basta-me.
Beijo*

Marta disse...

Não podes esperar mais, eu sou a menina do forte, lembras-te?!

:)

beijinho

htsousa disse...

Marta,

Por isso mesmo... mas não és a única.

Beijinhos.

htsousa disse...

m.,

Obrigado pelas palavras, os elogios está aceites.

Todos os dias tenho ido ler textos teus. As tuas narrativas são fantásticas.

Nem penses em parar, ganhaste um fã. Consegues criar um mundo à parte, com camadas sobre camadas, véus sobre véus., consegues transportar as pessoas.

Fico contente que te agrade. Os meus devaneios são meus, porque não são dirigdos a ninguém, mas estão num blog porque os quis partilhar.

Beijo.

alguém+ neste mar de gente disse...

uau... texto magnifico! mas quem te manda desvendares a alma dessa pessoa hein?

htsousa disse...

alguém+,

Não foi de propósito!!! ;)

Beijinhos.